Quando estamos falando de ensinar alguma coisa a um cão, não deveríamos discutir se os cães devem seguir um líder ou não.

A pergunta a se fazer deveria ser: como os cães aprendem?

Pode-se dizer que um cão aprendeu alguma coisa quando sua reação a uma situação específica muda.

Foi isso que Ivan Pavlov,  fisiologista russo e ganhador do prêmio Nobel de Medicina em 1904, percebeu durante seus estudos sobre o processo digestivo dos animais.

Pavlov notou que alguns cães da sua pesquisa começavam a salivar depois do toque de um sino.

Porém, isso só acontecia com os cães que recebiam comida logo após esse estímulo sonoro.

Ao contrário desse primeiro grupo, os cães que não eram expostos a sequência (toque do sino + comida) não apresentavam salivação após o estímulo sonoro.

Nesse caso, o estímulo sonoro era um estímulo neutro, já que não estava associado com a apresentação da comida.

Ficou claro para ele que, de alguma forma, os cães aprendiam que o toque do sino significava que a comida viria logo a seguir, e por isso começavam a salivar.

A partir do momento em que houve o pareamento dos estímulos (som + comida), o estímulo (sonoro) deixou de ser neutro e passou a ser um estímulo condicionado (no caso, associado à uma recompensa).

Isso levou Pavlov a criar o conceito do condicionamento clássico, um processo que descreve a criação e modificação de comportamentos com base nos efeitos do binômio estímulo-resposta.

Na modelagem do comportamento do seu cachorro, o Condicionamento Clássico de Pavlov é o primeiro conceito que você deve compreender.

Por que cachorros aprendem por associação.

É essa capacidade de associar eventos que permite ao cão aprender.

Na prática, você fará com que ele associe um comando verbal ou gestual ao que deve ser feito ou a algo que não é permitido.

Para conseguir isso, é fundamental trabalhar de forma conjunta o condicionamento clássico com os quatro conceitos criados pelo psicólogo americano B. F. Skinner.

1 – Reforço positivo

2 – Reforço negativo

3 – Punição positiva

4 – Punição negativa

Mas antes é preciso esclarecer o que significam as palavras “positivo” e “negativo”.

Positivo é quando você insere uma recompensa ou punição. Negativo é quando você retira algo que é desejado ou  indesejável.

Portanto, positivo e negativo não tem uma relação direta com recompensa ou punição.

Tanto é que existem o reforço negativo e a punição positiva.

Também é importante compreender que “reforço” é utilizado para criar comportamento e “punição” para eliminar.

Então vamos lá entender os conceitos básico da escola behaviorista criados por Skinner.

– Reforço positivo

Esse conceito se tornou a base do adestramento atual. O reforço positivo ocorre quando você recompensa o seu cachorro por ter acertado um exercício ou demonstrado algum comportamento desejado. É quando você oferece um petisco ou alguma outra coisa que ele goste (como um brinquedo) como recompensa quando ele não pula nas visitas, por exemplo.

– Reforço negativo

É quando algo que possa causar algum incômodo ao seu cachorro é removido quando ele acerta um exercício ou apresenta algum comportamento desejado. Você pode, por exemplo, tocar de forma gentil e contínua a anca do seu cachorro até ele sentar. Quando ele tocar o chão, você retira o toque. Em pouco tempo ele passará a antecipar o seu toque e se sentará apenas com o seu gesto. O renomado adestrador Bart Bellon criou o método NePoPo, que alia uma sequência de reforço negativo + reforço positivo para modelar o comportamento de cães.

– Punição positiva

É quando algo indesejável acontece como resultado de um comportamento. Por exemplo, bater em um cão que mordeu uma pessoa. Hoje em dia a maioria dos adestradores não utilizam a punição positiva ou lançam mão desse artifício apenas em último caso. Os métodos positivos dominam o adestramento moderno e recomendamos a você utilizá-los também. Por envolver uma série de fatores de riscos físicos e psicológicos o cão e ao tutor, a punição positiva deve ser utilizada apenas por profissionais. Porém, existem algumas formas de punição positiva que não envolvem força física, como borrifar água no rosto do cão quando ele está fazendo algo errado.

– Punição negativa

A punição negativa é o contraponto do reforço positivo e por isso é muito importante dentro dos métodos de adestramento mais modernos. É quando algo desejável é retirado em função do comportamento apresentado pelo seu cão. Então, quando você ignora o seu cachorro quando ele não acerta um exercício ou apresenta algum comportamento indesejável, está lançando mão da punição negativa. A atenção dos tutores é algo tão desejado pelos cachorros que não tê-la é uma punição e ajuda a mostrar a eles o que é certo ou errado.

Portanto, se você quer adestrar o seu cachorro, seja ele de qualquer idade ou qualquer raça, entender a fundo esses conceitos básicos tornará essa jornada muito mais fácil.

A ideia do adestramento de cães é unir o condicionamento clássico aos conceitos da escola behaviorista para modelar o comportamento do seu cachorro.

Boa sorte!

2 thoughts

    • flatnose

      Muito obrigado Sônia! É muito recompensador ouvir isso das pessoas. Estamos aqui para compartilhar cultura canina e esperamos que isso ajude você e outras pessoas a melhorarem a sua relação com os seus cães.

Deixe uma resposta