Filhotes

Como escolher o filhote ideal

Uma das melhores sensações possíveis, é a de procurar e escolher aquele que será o nosso novo cachorro. Os cães possuem um largo espectro de fenótipos possíveis, dentre as mais…

Adestramento

5 conceitos básicos que você precisa aprender antes de adestrar o seu cão

Quando estamos falando de ensinar alguma coisa a um cão, não deveríamos discutir se os cães devem seguir um líder ou não. A pergunta a se fazer deveria ser: como…

2
Adestramento

5 dicas para o seu cachorro não destruir a sua casa

O seu móvel preferido, o controle remoto, a caminha nova, o seu chinelo e até as paredes da sua casa podem ser, do ponto de vista de um cachorro, alvos…

Adestramento

Adestramento. Por que é mais importante do que você pensa.

Muitas pessoas não dão importância ao adestramento de seus cães achando que se trata de algo fútil. Afinal de contas, por que isso seria importante se você não tem a…

Adestramento

5 dicas para acabar com a ansiedade de separação do seu cão

O primeiro sepultamento de cães ao lado de humanos que se tem conhecimento ocorreu há mais de 14 mil anos e está localizado em Bonn-Oberkassel, na Alemanha. Porém, alguns cientistas…

Institucional

Por que fazemos o que fazemos na Flat Nose Dog School – Parte 1



Muitas pessoas procuram a Flat Nose Dog School todos os dias em busca de ajuda para solucionar os problemas comportamentais dos seus cães.


Agressividade canina, ansiedade de separação, excesso de latidos e xixi fora do lugar são apenas alguns exemplos dos motivos que já nos levaram para dentro dos lares de centenas de clientes.


Conhecer de perto a forma como tantas pessoas se relacionam com os seus cães nos levou a duas conclusões:


1 – Os problemas comportamentais caninos mais comuns são apenas sintomas de algo maior se manifestando.


2-  Precisamos olhar a questão do comportamento canino de um ponto de vista mais profundo.


Então, quais poderiam ser as causas de tantos problemas entre cães e humanos?


Para começar a entender esse fenômeno, primeiro vamos esclarecer o que leva duas espécies a se associarem. Depois disso, precisamos voltar no tempo para mapear o que fez com que os canídeos e os humanos escolhessem construir juntos uma jornada que já dura milhares de anos.


ASSOCIAÇÃO ENTRE ESPÉCIES


Existem diferentes tipos de relação entre os seres vivos na natureza. Essas relações diferem de acordo com a forma e motivos que criam essa associação, e se ela ocorre entre indivíduos da mesma espécie ou entre indivíduos de espécies diferentes.


Não é objetivo desse texto recapitular as aulas de biologia do colégio, explicando todas essas possibilidades. Mas é preciso deixar claro que a base para que isso aconteça é o interesse em obter alguma vantagem de pelo menos um dos lados envolvidos.


Seguindo as definições científicas, o conceito que talvez melhor defina a associação entre humanos e canídeos seja o mutualismo, que é definido da seguinte forma na Wikipedia:


Mutualismo define um tipo de associação entre populações diferentes em que ambas se beneficiam, entretanto, podem estabelecer ou não um estado de interdependência fisiológica. No caso do mutualismo, a interação ocorre entre populações distintas (interespecíficas), e como nenhuma população é prejudicada, é chamada de relação harmônica.


Homens e canídeos não se associaram aleatoriamente, por um acaso do destino. A união entre as duas espécies só fez sentido por que existiam interesses em comum bem definidos entre elas.  Caso contrário, não teríamos cães dentro de casa como temos hoje.


Esse ponto não pode ser ignorado pelo homem moderno, que parece, sem se dar conta, querer mudar algo que firmou um tipo de pacto entre humanos e canídeos há milhares de anos.


E O HOMEM ENCONTROU O CÃO


Esse é o título de um livro escrito por Konrad Lorenz que todo amante dos cães deveria ler.


Konrad Zacharias Lorenz foi um zooólogo e etólogo austríaco, vencedor de um prêmio nobel em 1973 por seus estudos sobre comportamento animal.


Logo no primeiro capítulo do seu livro, Konrad Lorenz narra uma hipotética história ocorrida há milhares de anos para ilustrar os pilares que fundaram a associação entre humanos e canídeos.


Um grupo de homens foi obrigado a migrar do território que habitava em uma jornada repleta de riscos. Com um número reduzido de integrantes e o seu líder morto, eles não passavam de presas buscando um local seguro.


Em fuga, eles já não contavam com a valiosa ajuda dos chacais, que rodeando o seu antigo acampamento em busca de restos de comida, serviam para alertar com antecedência caso algum perigo se aproximasse durante a noite.


Até que o novo líder do grupo, ao ouvir os uivos de chacais durante a fuga, deixou um rastro de comida por onde passavam.


Depois, já em um local seguro para descansarem, aquele grupo de homens passou a ouvir os chacais uivando cada vez mais perto, até que se viram rodeados pelos mesmos animais que, na rotina do acampamento da tribo, fornecia segurança a eles durante as noites.


O uivo daqueles animais soou como a lembrança de um tempo onde todos estavam seguros.


Mas por trás daquele gesto impulsivo do novo líder, o que ocorreu de fato foi algo que pode ter mudado a história da humanidade: pela primeira vez, o homem havia alimentado deliberadamente um animal, buscando uma determinada função desempenhada por ele, naquele caso, a segurança.


No decorrer do seu livro E o Homem Encontrou o Cão, Konrad Lorenz fundamenta a união entre homens e canídeos em três pilares: segurança, alimentação e companheirismo.


O QUE MOVE A FLAT NOSE DOG SCHOOL


Nós, da Flat Nose Dog School, acreditamos que foi o equilíbrio perfeito entre esses três pilares que tornou possível uma associação tão bem sucedida entre duas espécies tão distintas.


Sem o equilíbrio entre esses três pilares, não faria sentido para canídeos e humanos, permanecerem juntos.


E se, milhares de anos depois, tudo isso mudasse? E se essa mudança fosse rápida demais?


Quais as consequências de um desequilíbrio entre os pilares que formaram esse “pacto entre humanos e canídeos”?


No próximo post, nós falaremos mais sobre isso, terminando de fundamentar o que move a Flat Nose Dog School a fazer as coisas de um jeito único.


Até lá!