Uma das melhores sensações possíveis, é a de procurar e escolher aquele que será o nosso novo cachorro. Os cães possuem um largo espectro de fenótipos possíveis, dentre as mais de 400 raças existentes no mundo, existem cães para todos os gostos, dos gigantes aos pequeninos, de pelagem longa ou curta, das mais diversas colorações e formatos, cães de cabeça molossóide, braquicefálicos e por aí vai.

Dentre esse mundo de possibilidades, ainda encontramos outras variáveis que são muito importantes:

  • Cães de raça ou SRD (sem raça definida)
  • Macho ou fêmea?
  • Comprar ou adotar?
  • Cães de companhia ou cães de trabalho?

É importante entendermos, que a escolha consciente dos filhotes, impactará diretamente no sucesso da caminhada que vem a seguir.

Mas então, como escolher o filhote ideal?

Escolher um cão utilizando da estética como principal fator, pode vir a ser um erro muito grande, ainda mais se o novo dono não tiver experiência com comportamento canino.

Então na hora de pesquisar onde, como e qual cão levar para dentro da sua casa, temos que ter bem definido o que esperamos dele, e se as necessidades do cão vão se adequar ao estilo de vida que possuímos.

Optar por um filhote de cão de raça, ajuda a tornar essa escolha mais previsível. Portanto, pesquise muito sobre as raças pelas quais você tem mais afinidade e evite comprar o seu novo cão por impulso em feiras de filhotes. É fundamental que você pesquise sobre o criador para ter a certeza que não está comprando de quem tem uma “fábrica” de filhotes no fundo do seu quintal.

Caso a escolha seja por adotar um cão filhote, você estará realizando um belo gesto do ponto de vista social. Mas tenha em mente que será muito mais difícil prever o temperamento e o porte do seu novo cão, principalmente se você não tiver a oportunidade de conhecer os pais.

Se seguirmos alguns critérios importantes na escolha do filhote, teremos dado o primeiro passo para um melhor relacionamento com nossos cães.

OS CINCO PRINCIPAIS CRITÉRIOS NA HORA DA ESCOLHA DA RAÇA DO CÃO SÃO:
  • Sua experiência e conhecimento sobre cães
  • Sua capacidade financeira
  • Nível de energia e necessidade de atividade do cão
  • Temperamento do cão
  • Porte do cão

Ou seja, é inviável adquirir um cão de muita energia física, como os boiadeiros australianos, se temos apenas 20 minutos por dia para dedicar a ele. Assim como não é recomendado escolher um cão que requer experiência e postura como um rottweiler, como o seu primeiro cão. E é claro, é inviável ter qualquer cachorro, se não temos condições financeiras de arcar com suas despesas veterinárias, de alimentação e comportamentais.

Bulldogs e Pugs por exemplo, costumam ser cães mais propensos a apresentarem problemas de saúde, aumentando consideravelmente a conta do veterinário no final do ano.

Donos com pouca experiência devem evitar adquirir um filhote muito inseguro, dominante ou que já tenha apresentando problemas comportamentais. Nesses casos, as chances de abandono ou devolução do cão são muito grandes.

Uma vez escolhido comprar um cão de raça ou um SRD, a próxima etapa é procurar cautelosamente o criador ou ONG do qual vamos adquirir o cão. É importante notar que cada cão é um indivíduo dentro da sua raça, logo, o seu comportamento pode variar em função de fatores genéticos, ambientais e de criação.

Sugerimos que a escolha de um filhote seja orientada por um veterinário e também um adestrador, de forma que com a ajuda profissional, o índice de sucesso na escolha aumentará exponencialmente.

Se você ainda está escolhendo ou já possui um filhote, a Flat Nose Dog School criou um guia definitivo para você entender a mente do seu novo cão, criar um canal de comunicação com ele e formar um cão educado. Não perca mais tempo e baixe agora clicando no banner abaixo!

Deixe uma resposta