Os cães são, assim como lobos e outros canídeos, animais gregários, ou seja, animais com estrutura de vida social. Por isso, quando o assunto é socialização, é preciso ter atenção para estruturar da melhor forma possível essa experiência para os nossos cães, principalmente quando eles são filhotes.

Se você ainda não tem um filhote e está em busca de informações sobre como escolher o filhote ideal, nesse postnós falamos sobre isso.

Agora vamos lá, falar um pouco sobre como socializar o seu filhote sem criar experiências traumáticas.

O primeiro período de socialização do seu filhote

Levando em consideração as etapas de desenvolvimento do filhote, o primeiro período de socialização se inicia por volta do 29º dia e vai até o 49º dia de vida. Essa curta etapa, pode ser considerada a mais importante na sua formação. Isso porque, essa etapa desenvolve os fundamentos para o convívio social com outros cães. Esse aprendizado ocorre por meio das interações com a mãe e os outros filhotes da ninhada.

DURANTE ESSE PERÍODO INICIAL DEIXE A MÃE CUIDAR DA DISCIPLINA; ATÉ AGORA, VOCÊ NÃO DEVE INTERFERIR, DIRETAMENTE, NA SOCIABILIZAÇÃO DOS FILHOTES COM A MÃE E ENTRE SI.

A parte final dessa primeira fase, aos 45 dias, marca o período em que a maior parte dos criadores começam a entregar os filhotes aos seus futuros donos. Hoje já se sabe que o ideal é esperar até os 60 dias para que o filhote deixe a ninhada, permitindo que ele complete a primeira fase de socialização junto aos irmãos e sob os cuidados da mãe.

Apenas 15 dias fará muita diferença na formação do temperamento do seu filhote, permitindo que você tenha um cão com mais chances de ser tornar sociável quando adulto.

Cães que são separados cedo demais da ninhada, antes mesmo dos 45 dias de vida, também podem se tornar mais inseguros e ansiosos na fase adulta e provavelmente serão mais propensos a latir e a apresentar reatividade com outros cães, em função de uma fase de socialização incompleta.

O segundo período de socialização  do seu filhote

Nessa nova fase do desenvolvimento, que vai de 8 a 12 semanas, os cães desenvolvem um sentimento que ainda não esteve presente na sua vida: o medo. A maioria dos filhotes nesse estágio passam a ter medo de quase tudo, até mesmo de coisas com as quais costumavam se dar bem. É fundamental evitar eventos traumáticos e disciplina severa.

Ainda nessas fases iniciais, o cão não pode sair de casa por causa do protocolo inicial de vacinação. Porém, depois de tomar todas as vacinas, o cão já está liberado para sair na rua. O ideal seria que o fim desse protocolo de vacinação coincidisse com a segunda fase de socialização.

O MAIS IMPORTANTE NA SOCIALIZAÇÃO NA RUA É LEMBRAR QUE SOCIALIZAÇÃO NÃO É EXPOSIÇÃO.

A exposição dos filhotes sem os cuidados adequados pode levar a eventos traumáticos, trazendo muitas vezes traços de insegurança e de reatividade a essas situações.

Muitas pessoas começam a frequentar as praças para socializar seus filhotes, aumentando as chances de contato com cães mau educados, cães reativos, cães com estados de energia diferentes e cães dominantes.

Elas não levam em consideração que a personalidade do seu filhote ainda está em formação e que a interação com cães desse tipo pode gerar eventos traumáticos que afetarão o filhote o resto da vida.

Seja criterioso na escolha dos cães com os quais o seu filhote vai interagir

O melhor caminho para uma socialização saudável, é aumentar o tempo de exposição gradualmente, permitir a interação do filhote apenas com cães educados e ter o máximo de controle possível da situação, para prevenir possíveis acidentes. Mas não se esqueça, a proteção ao extremo também é negativa. Colocar um cão que tem medo no colo, é reforçar o estado mental da insegurança, e isso levará a problemas sérios no futuro.

Por isso, indicamos que a socialização seja feita em um day care de confiança, onde o seu filhote terá a supervisão de profissionais.

Busque também o auxílio de literatura especializada para guiar você nesse processo. Para isso, a Flat Nose Dog School criou um e-bookespecialmente para quem quer entender a mente do seu filhote, criar um canal de comunicação claro com ele e formar um cão educado.

Uma socialização bem estruturada é um dos passos fundamentais para ter um cão ideal, porém existem outros fatores importantes. Como a atividade motora do seu filhote já estará bem desenvolvida entre a primeira e a segunda fase de socialização já será possível criar uma rotina de treinamento e brincadeiras para aumentar a conexão e obediência futura do seu cão.

Com todas as etapas respeitadas, e realizadas de uma forma estruturada, qualquer um pode ter um cão sociável e educado, que é bem-vindo em todo tipo de situação do nosso cotidiano.

Se você se interessou pelo assunto e quer aprender mais, fique ligado nos próximos conteúdos e não deixe de adquirir o seu guia definitivo da Flat Nose Dog School para você entender a mente do seu filhote, criar um canal de comunicação com ele e formar um cão educado.

Vem com a gente compartilhar cultura canina!

Deixe uma resposta